A vida melhorou como nunca

A vida melhorou como nunca

"Com 22 anos vim morar na Argentina seguindo um amor, e posso afirmar pra vocês, que o brasileiro nunca foi tão respeitado no exterior"Pedro Henrique Alves Mesquita - Alvorada do Norte/Goiás

Depoimento enviado em 04/10/2014

O brasileiro nunca teve tanta dignidade. Venho de uma família humilde que já sofreu muito nas mãos da direita, somos do interior de Goiás e, como não tínhamos uma casa própria como todos os pobres no governo tucano, vivíamos de favor em uma pequena casa da paróquia oferecida pelo padre. Pouco tempo depois, ficamos sabendo que queriam derrubar a casa, com a suposta promessa de construir uma praça, o padre não estava de acordo e disse que não aceitaria isso acontecer. A vontade do padre foi respeitada? Claro que não. Pouco tempo depois, a noite, sem o conhecimento do sacerdote, maquinas se aproximaram da casa já preparadas para destruir a casa, com a mentira de que o padre já havia sido informado. Mal tivemos tempo para tirar o pouco que tínhamos, e vimos o nosso lar virar pó, não era realmente nosso, mais ali vivíamos, e a praça que supostamente seria construida, saiu anos depois.

Na época eu não entendia nada, tanto que tenho poucas lembranças da minha infância, mas graças a Deus, mais que um pai, tenho um grande amigo, com quem tenho conversas muito enriquecedoras e já me contou como aconteceram as coisas, posso ter me esquecido de algum detalhe, mas assim aconteceu, uma família foi colocada na rua, simplesmente porque um político corrupto assim queria, o mesmo pouco tempo depois elegeu sua mulher como prefeita da cidade e, minha mãe e avó funcionárias públicas, sofreram a perseguição do mesmo, que queria nos ver cada vez pior, e essa foi a nossa realidade até o dia que o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil, no dia 27 de outubro de 2002, e a esperança renascia, eu que não entendia nada de política me lembro do meu pai, contente, sorridente, comemorando a vitória do partido dos trabalhadores.

E a vida queridos amigos, sim, melhorou como nunca. O salário mínimo foi reajustado, foi possível alugar uma casa e, pela primeira vez na nossa vida, vivemos com dignidade, trabalhar, comprar, pagar, respeitar e ser respeitado. Com o trabalho árduo dos dos meus pais foi possível comprar uma casa um tempo depois e, finalmente poder dizer, eu moro na minha casa, no que é meu, e ninguém pode me tirar daqui. Hoje a vida esta ainda melhor, minha mãe ainda é funcionária pública, e mesmo que as vezes existam problemas, se trabalha com mais tranquilidade. Meu pai, que nesse espaço de tempo, esteve desempregado, foi ajudante, mecânico, motorista, e batedor de caixa, hoje juntou tudo isso e é microempresário, com muito orgulho dono da RPD Transportes. Meu irmão, com 16 anos, já trabalha de carteira assinada. Todos se ajudam, cada um faz o que sabe, e já se pode dizer, que somos plenamente felizes, embora a vida não seja fácil.

Eu, com 22 anos, no começo no ano vim morar na Argentina seguindo um amor, e posso afirmar pra vocês, que o brasileiro nunca foi tão respeitado no exterior. Cada vez que eu falo com muito orgulho que sou brasileiro, as pessoas me perguntam o que eu estou fazendo aqui. Como deixei o meu, enorme, rico e lindo Brasil. E a minha resposta é: “Eu estou aqui, mais trago o meu país no coração”.

O meu, o nosso Brasil, que sim, agora que o vejo de fora, mais do que nunca me dou conta, que lindo e maravilhoso é o meu país, de um povo sem igual, um povo humilde, acolhedor, caloroso como em nenhum outro lugar do mundo, e é pra esse mesmo povo que eu destino o meu apelo, não retrocedam, não baixem os braços, não baixem a cabeça.

Muito obrigado a todos que lerem a minha história, e a minha opinião.